Apogeu News

O APOGEU em destaque
Balanço Geral PISM 2018 - Módulos I, II e III

Balanço Geral PISM 2018 - Módulos I, II e III

Os professores da Rede de Ensino APOGEU fizeram uma análise detalhada sobre as questões abordadas nas provas dos três módulos do Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM) 2018. Confira:

 

 

1)    MATEMÁTICA

(Professores: Júlio César e Victor Emanuel)

 

- PISM 1:

 

A Prova de Matemática foi considerada de maneira geral uma prova de nível fácil para médio. Como de costume, mesclou questões de álgebra e geometria dando ênfase ao primeiro conteúdo. O logaritmo, assunto que em geral traz dificuldades aos estudantes, foi abordado de maneira implícita e figurou na questão que foi considerada a mais difícil da prova. Na prova objetiva, foram abordadas características básicas das funções elementares.

 

No que diz respeito às questões discursivas, a prova abordou conceitos elementares de função quadrática, semelhança de triângulos e teorema de Pitágoras.

 

- PISM 2:

 

De maneira geral, a prova foi considerada de nível fácil para médio, considerando-se a questão discursiva que envolvia o estudo das sequências numéricas como a mais difícil da prova. O conteúdo mais exigido no exame foi o de Sequências Numéricas, tanto na parte objetiva quanto na parte discursiva, perfazendo um total de 3 questões num total de 7. O conteúdo de estatística foi abordado de maneira direta assim como o de Trigonometria. Já a geometria espacial, que historicamente figura na prova discursiva, também não trouxe problemas aos estudantes, já que abordou conceitos básicos de volume e planificação de sólidos.

 

- PISM 3:

 

O conteúdo foi muito bem distribuído, tanto na prova objetiva quanto na discursiva. Nas questões objetivas, foram cobrados conceitos básicos sobre geometria analítica, sistemas lineares, análise combinatória e polinômios, ficando ausente apenas o conteúdo de probabilidade que aparece em um dos itens da prova discursiva. Foi considerada de nível fácil. Já a prova discursiva, com uma distribuição de conteúdo tão homogênea quanto a objetiva, apresentou um nível de dificuldade um pouco maior, sendo a questão de polinômios que mais exigia do aluno.



2)    QUÍMICA

(Professores: Marcelo Bonoto, Patrícia Barra e Keila Ferreira)

 

- PISM 1:

 

A prova veio dentro do esperado, acompanhando as características dos anos anteriores.  Apesar de uma grande valorização da parte de Análise Imediata nas questões objetivas, a prova abrangeu também os assuntos de Estrutura Atômica, Tabela Periódica, Ligações Químicas e Nomenclatura.

 

Na prova discursiva, a questão número 1 cobrou o conhecimento de Nomenclatura, Geometria Molecular, Fórmula Estrutural e Solubilidade, porem na letra C, ao pedir a Estrutura de Lewis para pentacloreto de antimônio, a questão desrespeitou a orientação do programa que é trabalhar com estruturas no octeto. Na questão número 2 o assunto foi análise da Temperatura de Ebulição para determinação de estado físico. A questão poderia ser mais bem aproveitada, foram muitas letras abordando a mesma linha de raciocínio.

 

 

- PISM 2:

 

Dentre os três módulos do PISM, o II é o que mais exige na prova de Química conhecimentos  de matemática básica.  A prova objetiva veio com um número maior de questões de Inorgânica/Físico-Química, porém a questão de Orgânica foi bem abrangente, cobrando Hibridação, Classificação do Carbono, Nomenclatura e Identificação de Funções.

 

Na prova discursiva a questão número 1 abordou os conteúdos de Termoquímica e Cálculo Estequiométrico, de forma coerente.

 

- PISM 3:

 

Ao contrário da prova do modulo II, o módulo III manteve a distribuição dos anos anteriores: 3 questões de Físico-Química e duas de Química Orgânica. Na prova objetiva houve uma valorização maior do conteúdo Ka/pH, sendo que o Tema de Equilíbrio Químico é assunto muito rico. A prova teve ainda uma questão de Eletroquímica e duas de Química Orgânica, muito bem distribuídas e exploradas.

 



3)    PORTUGUÊS

(Professores: Charles Dias, Danielle Generoso, Renália Rodrigues e Renata Vieira)

 

- PISM 1:

 

Em relação à prova de Língua Portuguesa do Módulo I do PISM, podemos considerar seu nível médio, tanto na parte objetiva quanto na discursiva, uma vez que relacionou interpretação de texto com alguns elementos gramaticais. Na parte objetiva, o conteúdo estava direcionado à variação linguística que requeria do aluno um pouco de contato com o assunto, mas principalmente uma atenta leitura do texto. Uma questão que pode ter exigido um pouco mais do candidato era a de número 5 que solicitava uma análise morfossintática dos verbos destacados (verbos no gerúndio com função de adjuntos adverbiais de modo). A prova discursiva foi dividida em interpretação e uso de pronome relativo. A questão de interpretação (número 1) estava de fácil identificação no texto. Já para responder a questão 2, o candidato deveria reconhecer a especificidade do pronome “onde” na retomada de lugar, exigindo-lhe um pouco mais de atenção, principalmente por se tratar de duas perguntas na mesma questão. A prova, no geral, foi muito bem elaborada, trouxe textos acessíveis ao aluno do primeiro ano do ensino médio e equilibrou interpretação com conhecimentos gramaticais.

 

- PISM 2:

 

Em relação à prova de Língua Portuguesa do Módulo II, podemos considerá-la com baixo grau de dificuldade. Muito direcionada à interpretação, a prova objetiva não exigiu do candidato muitos conhecimentos prévios, mas uma leitura atenta dos textos, inclusive para responder as questões que relacionaram conhecimentos gramaticais – como a de número 2 (pontuação) e número 3 (valor semântico de conjunção). Os textos adequados com a idade dos alunos, assim como o nível dos enunciados.

 

A prova discursiva também foi interpretativa e apresentou dois textos com proximidade de assunto, também sem dificuldade de leitura e compreensão. A prova, no geral, foi bem elaborada, representando bem a proposta da Universidade de valorizar habilidades de leitura de gêneros variados.

 

- PISM 3:


A prova objetiva do PISM Módulo III de língua portuguesa trouxe, como texto base 01, uma entrevista com Drauzio Varella intitulada “O único lugar em que a mulher tem liberdade sexual é na cadeia”.

 

A entrevista é um gênero textual com função geralmente informativa, sendo veiculado, sobretudo, em jornais, revistas, rádio, televisão e sites e é formadora de opinião, já que propõe debater determinado tema, por meio da prevalência do discurso direto, com respostas de especialista no assunto. A entrevista concedida por Drauzio Varella ao El PAÍS, em julho de 2017, discute as marcas do machismo na trajetória das presas em uma penitenciária feminina.

 

Após desenhar o perfil feminino em penitenciárias, as perguntas caminham para a reflexão sobre homossexualidade feminina, machismo, maternidade, situação e relação entre comandos externos e internos dos presídios.

 

A linha temática adotada pela UFJF nesta edição representa uma continuidade dos trabalhos realizados pela universidade, pois o texto possui função social muito importante, sendo essencial para a difusão do conhecimento crítico da sociedade, ao retratar os presídios de forma sensata, sem vitimizar as mulheres presas nem representá-las como monstros.

 

Os candidatos deveriam responder às perguntas que solicitavam:

1. Conhecimento da estrutura do gênero entrevista e função principal de sua introdução;

2. Identificação de uso da vírgula como quebra da ordem direta na língua portuguesa;

3. Interpretação de texto visando à percepção da diferença entre presídios femininos e masculinos no que se refere à vivência da sexualidade;

4. Reconhecimento da tipologia textual argumentativa, com vistas a perceber a forma e os objetivos presentes nas respostas do entrevistado; e

5. Identificação de sinonímia baseada em significado de uma palavra no contexto da obra.

 

A prova discursiva do PISM Módulo III de Língua Portuguesa  teve como texto base 02, “O que é feminismo”, publicado em 2015 no site “Me Explica” e, posteriormente, divulgado pela Revista Carta Capital.

 

O texto expõe, de forma didática, respostas para dúvidas que há sobre o movimento, que tem entre suas expoentes a filósofa Simone de Beavouir, citada no Enem de 2015.

 

O objetivo claro é levar conhecimento e desconstruir criticamente absurdos que são veiculados por irresponsabilidade nas mídias ou por intuito deliberado de desinformar, tais como a ideia de que feministas são contra a “família, o casamento e ter filhos”.

A questão de número 01 cobrou dos candidatos e das candidatas o conhecimento e a análise sobre processo de formação da palavra “machismo” com identificação de seu antônimo e sua definição. A percepção de que “humanismo” é um sistema filosófico de pensamento e não um movimento social ou político, como é o feminismo, foi retratada no texto 02. Portanto, além de identificar a palavra “femismo”, ideologia que prega a superioridade da mulher na sociedade, o objetivo da questão é demonstrar que há um erro conceitual de conhecimento, já que o feminismo representa um movimento político e social que visa à igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres.

 

A questão de número 02 solicitou que os candidatos reconhecessem marcas de oralidade e que reconstruíssem fragmentos do texto em que aparecem de forma que assumam adequação a situações mais formais de uso.

 

Já a questão 03 solicitou que fossem relacionadas as palavras “já” e “ainda” em fragmentos diferentes do texto. Esses advérbios marcam pressupostos de informação, já que representam aquilo que foi alcançado pela mulher na sociedade e as lutas que são travadas no presente e, possivelmente, que serão travadas no futuro, como o fato de as mulheres ainda receberem 30 % a menos que os homens no desempenho de funções idênticas.

 

Para realizar a questão 04, os candidatos deveriam analisar o significado da palavra “passional” e explicar por que os crimes cometidos por mulheres recebiam essa classificação. O objetivo é perceber que “passional”, aquilo que é movido por paixão, que é desprovido de razão não serve para classificar muitos crimes e que homens morrem por muitos motivos, mas não pelo fato de “ser homem”.

 

A última questão, 05, exigiu que os candidatos percebessem a relação entre a estrutura do texto, de perguntas e respostas, com o título da seção em que originalmente foi publicado “Me Explica?”. Uma seção que se autonomeia dessa forma tem o objetivo de esclarecer, expor, explanar, justificar, significar, aclarar, enfim, trazer à sociedade conhecimento e informação, que são explicados através de respostas curtas e objetivas a perguntas representativas do senso comum. Em todas as questões discursivas, os problemas morfossintáticos, semânticos, de ortografia e de adequação vocabular serão penalizados.

 

Diante do fato de existir uma cultura de violência contra a mulher e contra o feminino, a Universidade Federal de Juiz de Fora cumpre sua função social e apoia, com a autoridade de seus e de suas especialistas, o trabalho exercido de forma crítica no Colégio Apogeu.

 



4)    LITERATURA

(Professores: Ícaro Rodrigues e Luiz Rogério)

 

- PISM 1:

 

A prova objetiva de Literatura do PISM I 2018 exigiu dos alunos a leitura e análise de textos pautados, basicamente, por uma forte crítica social no que tange às condições de vida da classe trabalhadora brasileira. No texto de Marcelino Freire, a banca destacou as relações ainda existentes entre a escravidão e o trabalho braçal, dialogando-o com uma canção de Gonzaguinha, de mesma temática.

 

Na prova discursiva, a banca pautou-se em texto de Guimarães Rosa para exigir dos candidatos conhecimentos relacionados ao conceito de intertextualidade e à capacidade de interpretar e significar o desfecho do conto.

 

De nível médio, a prova testou a habilidade dos alunos de ler criticamente os textos selecionados, todos, de alguma forma, relacionados às questões políticas e sociais da nossa atualidade.

 

- PISM 2:

 

A prova objetiva de literatura do PISM II apresentou dois poemas, um de Murilo Mendes e outro de Carlos Drummond de Andrade, poetas do Modernismo brasileiro. Além desses dois textos, a prova evidenciou um fragmento do clássico romance “Dom Casmurro”, de Machado de Assis - autor pertencente ao Realismo brasileiro. É importante ressaltar que Drummond e Machado estão presentes na lista de autores sugeridos no programa de Literatura do módulo II e Murilo Mendes, apesar de não estar mencionado, pertence à segunda geração Modernista, período literário previsto pelo edital. A prova discursiva trouxe um fragmento da obra “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos, autor também pertencente ao Modernismo e também sugerido no programa. Por fim, as questões exigiram dos alunos a competência e a habilidade de interpretar o texto literário conforme vem acontecendo nos últimos anos e, portanto, a prova pode ser considerada fácil para quem se preparou.

 

-PISM 3:

 

A prova objetiva de Literatura do PISM III 2018 foi pautada na leitura, interpretação e comparação de textos de Gregório de Matos, Tomás A. Gonzaga e Ferreira Gullar, exigindo do aluno também o conhecimento acerca das principais características das escolas literárias a que pertencem os autores, mais precisamente, Arcadismo e Tomás A. Gonzaga. A prova discursiva comparou criticamente poema de Gregório de Matos com um de Affonso Romano de Sant’Anna, exigindo do candidato domínio de características do Barroco (cultismo), assim como o a definição de “sátira”.

 

A prova pode ser considerada de nível médio, uma vez que o candidato foi testado não só em suas habilidades interpretativas, mas também em relação ao domínio do conteúdo especificado no programa.

 



5)    HISTÓRIA

(Professores: Priscila Campos e David Militão)

 

- PISM 1:

 

A prova de História do referido módulo manteve a boa divisão em relação a divisão dos temas, uma vez que contemplou os 3 períodos históricos propostos: Antiguidade clássica, Idade Média e Idade Moderna.

 

Importante destacar as relações entre os processos históricos e a realidade atual. As questões discursivas privilegiaram os aspectos culturais, exaltando a importância da preservação da memória e do patrimônio cultural, principalmente ao que se refere as heranças africanas.

- PISM 2:

 

A prova de História do PISM II, contemplou o conteúdo programático estabelecido pelo edital.  Nas questões objetivas referentes à História do Brasil, privilegiou uma temática relacionada á escravidão dos africanos em nosso território, enfatizando a contribuição dos mesmos para a formação da identidade cultural brasileira e as tarefas exercidas por eles no cotidiano urbano. A questão discursiva abordou o direito à participação política durante o Império e nos tempos atuais.

 

As questões objetivas referentes à história geral, abrangeu o conteúdo relacionado ás consequências da independência da América Espanhola, a participação do operariado nos movimentos sociais na Europa do século XIX e as consequências oriundas da 2ª Revolução Industrial para a sociedade europeia. A questão discursiva abordou a temática do eurocentrismo, em relação a conquista europeia nos continentes africano e asiático, dentre outros fatores, devido a 2ª Revolução Industrial. Portanto, a prova de História do PISM II exigiu do aluno conteúdo sobre os temas abordados e conhecimento sobre o mundo atual.

 

- PISM 3:


Assim como a prova dos dois primeiros módulos, a prova do módulo III exaltou a importância da valorização da memória e do patrimônio cultural africano, seja através do Cais do Valongo, seja por meio das manifestações musicais e artísticas.

 

Outro ponto que ganhou relevância foi a análise das relações internacionais durante a ditadura militar e a atualidade, através da intervenção estadunidense em Cuba e no restante da América. A prova discursiva foi bastante contextualizada ao destacar a importância das reformas urbanas no Rio de Janeiro, o centenário da Revolução Russa, a importância da CLT e a questão dos imigrantes. Além de uma abordagem extremamente crítica e atual.

 



6)    GEOGRAFIA

(Professores: Rodrigo Cruz, Tiago Simões e Pedro Faria)

 

- PISM 1:

 

A prova objetiva de geografia do PISM I abordou temas tradicionais como cartografia, geologia e solos. Mas, especialmente, com relevância às questões ambientais, tanto nas objetivas, quanto discursivas. Questões sobre as consequências das ações humanas sobre o meio. Nota-se uma tendência a uma abordagem mais política da prova, que tinha características mais físicas e diretas. Esse novo aspecto torna a análise da prova mais interpretativa e menos conteudista.

 

- PISM 2:


A prova do PISM II teve uma abrangência bem demarcada neste ano de 2017, com uma Concentração de assuntos ligados à temática da Geografia Urbana em toda sua plenitude. A prova trouxe questões críticas, relativas ao cotidiano e que demandam do aluno o intenso Acompanhamento da situação social, econômica e política em nível nacional, regional e local - (Mobilidade urbana, violência contra a população LGBTT, desigualdade econômica racial, Gentrificação/movimentos sociais/especulação imobiliária, hierarquia urbana e problemas ambientais Urbanos – saneamento básico). A cidade vista como palco de reprodução das características do sistema capitalista, com suas vantagens e desvantagens, vista como um elemento organizador do espaço geográfica da atualidade. A única questão que fugiu à temática urbana foi a de geografia agrária, no entanto, embasada numa questão política/econômica/social intensa com o tema ligado à concentração de terras e a atuação da bancada ruralista com seus próprios interesses em detrimento dos interesses da maioria danação. Questões de nível médio, pois demandavam do aluno a interpretação de mapas, gráficos e tabelas, além do conhecimento geográfico e da interpretação de texto. A prova demonstrou que o aluno precisa ler, interpretar e analisar de forma crítica a realidade que o cerca, tem que estar antenado nos assuntos do cotidiano.

 

 

- PISM 3:

 

A prova do PISM III de 2017 trouxe temas bastante atuais e sua correlação com a economia, a geopolítica e a política brasileira e internacional. Uma prova contundente na valorização da democracia e dos direitos humanos, além de esmiuçar algumas questões econômicas de grande valor geopolítico. O aluno necessitava de leitura, interpretação e análise crítica da realidade que o cerca e embasada em argumentos sólidos e de fontes confiáveis. Não havia como ficar alienado do mundo estudando as matérias relativas ao 3º ano do Ensino Médio cobradas como: o papel da mulher/machismo/novo mercado de trabalho, obsolescência programada/consumismo/lixo, conflitos no Cáucaso, comércio internacional/meio ambiente, migrações internacionais/refugiados, globalização/muros transfronteiriços, golpe de Estado/democracia na América Latina, a questão da fome no Brasil e mundo, além do papel dos BRICS na Nova Ordem Mundial. São temas abrangentes e que exigem do aluno, ao longo do ano de estudo, muita leitura, discussão e uma capacidade crítica bem desenvolvida. Sair do senso comum era de fundamental importância nessa prova.

 

As questões estavam de nível médio a difícil, com o olhar variando de acordo com o nível de preparação do aluno ao longo do ano. Manteve-se o novo padrão de questões estabelecido na prova de 2016, com um maior grau de dificuldade do que nos anos anteriores. A prova mostrou a importância dos candidatos estarem sempre antenados com os assuntos atuais e que geram discussões.

 


 

7)    BIOLOGIA

(Professores: Ricardo Nunes, Luan Cristian e Guilherme Silveira)

 

- PISM 1:

Em relação às edições anteriores, a prova do módulo I (triênio 2017-2019) trouxe questões cujo maior enfoque foi dado à citologia, não havendo diversificação entre as grandes áreas solicitadas no edital. Entre os demais conteúdos cobrados, também foram abordadas questões de bioquímica celular e histologia animal. A prova exigiu do aluno conhecimentos básicos a respeito da organização celular e seu mecanismo de funcionamento.

 

- PISM 2:

A prova desta edição apresentou enfoque menor em conteúdos ligados à zoologia dos invertebrados, com a cobrança de apenas uma questão ligada às medidas de prevenção de parasitoses. O grupo dos mamíferos voltou nesta edição com uma questão sobre características gerais do grupo. Outro assunto que se mostrou presente mais uma vez consecutiva foi a interação ecológica. A presença do fruto como novidade evolutiva das angiospermas e a importâncias ecológica e econômica dos fungos também foram temas abordados nas provas.

 

A fisiologia vegetal também se mostrou presente com uma questão, relacionando os fitormônios e suas respectivas funções. Como ponto positivo, os vírus, que já a um tempo não apareciam, ganharam uma questão relacionada a equipe.

 

- PISM 3:

A prova do módulo III desta edição teve uma grande abrangência do conteúdo proposto pelo edital. A ecologia trouxe questões sobre pegada ecológica, aquecimento global, biomas e ainda uma questão sobre hipótese de pressão de pragas de caráter mais específico. O assunto reprodução trouxe questões abrangendo métodos contraceptivos, o que tem sido muito explorado pelo módulo III do PISM. A embriologia trouxe o assunto de células tronco, relacionando-as à diferenciação tecidual embrionária e a clonagem ganhou uma questão na prova discursiva, trazendo a relação entre gêmeos univitelinos e clonagem natural. A genética manteve-se significativa nesta edição com questões de análise de heredogramas, Leis de Mendel e suas relações com a meiose e ainda a interação gênica.

 

Por fim, a evolução trouxe a análise de um cladograma e ainda a discussão de mecanismos de especiação e anatomia comparada com evidencias evolutivas.

 


8)    FÍSICA

(Professor: Diego Moreira)

 

 

- PISM 1:

 

A prova do PISM 1 contextualizou situações problemas de forma clara e objetiva. 

Em relação as questões discursivas, a 1 abordou o teorema do impulso e a lançamento horizontal, uma questão simples e que exige apenas cuidado com a unidade da massa.

 

A questão número 2 já é clássica, envolvendo trabalho e conservação de energia. Talvez a maior dificuldade fosse a letra c, mas, com atenção, percebe-se que era muito parecida com a questão número 1, de impulso e conservação.

 

- PISM 2:

 

A prova do PISM II contextualizou situações problemas de forma clara e objetiva. 

Em relação às questões discursivas, a número 1 abordou conversão de unidades e nas demais letras questões de pressão total, transformação gasosa e equação geral dos gases ideais.

 

A questão número 2 também envolvia questões de gases e, de forma muito simples, o trabalho do gás, que poderia ser calculado pela gráfico ou mesmo por fórmula.

 

- PISM 3:

 

A prova do PISM III contextualizou situações problemas que englobam questões simples e objetivas, mas também questões complexas que necessitavam de muito cuidado com detalhes importantes. Em relação às questões discursivas, a número 1 abordou circuitos, potência e calor, destacando que uma das resistências era uma função dependente da temperatura.

 

A questão número 2 abordou ondas mecânicas e harmônicos. A primeira parte era bem simples, apenas necessitando da velocidade de onda. A segunda parte já necessitava de mais cuidado para análise dos harmônicos, juntamente com a frequência e período em gráfico.

 

A questão número 3 de física moderna foi incrível! Abordando conceitualmente apenas a conversão de massa em energia, mas precisando de muito cuidado com o detalhe de ser apenas um átomo. A questão número 4 era a mais simples e objetiva, requeria conhecimento sobre potência e levava em conta a conversão de KwH e joule.

A questão número 5 é a clássica questão de eletromagnetismo com força magnética, campo magnético e vetor força magnética, que necessitava ser representado.

 



9)  FILOSOFIA (PISM 3)

(Professor: Renato Alves)

 

A prova de Filosofia dessa edição seguiu o padrão dos anos anteriores, ao trazer uma questão relacionada a um filósofo de modo mais particular e outra no estilo eixo-temático. Assim como em 2015 e 2016, as perguntas de  2017 possibilitaram ao candidato percorrer um longo itinerário pela história da Filosofia ao dissertar sua resposta.

 

Na primeira questão, foi exigido do estudante apontar o papel da dúvida na busca pelo conhecimento. Para tal, o texto motivador já apontava um caminho para respondê-la, Rene Descartes e a Dúvida Hiperbólica. Mas, o ideal é que a resposta relacionasse outros filósofos como Sócrates, Platão, Aristóteles.

 

A segunda questão trouxe uma afirmativa de John Hawls, “A justiça é a primeira virtude das instituições sociais, assim como a verdade o é dos sistemas de pensamento”. O candidato deveria comentar essa frase a partir da distinção entre teoria e prática. Apesar de ser um assunto muito presente na filosofia, por exemplo, em Sócrates, Platão, Kant, a proposição soa um tanto estranha, já que não há uma referência clara sobre o tema no Conteúdo Programático selecionado pela Instituição.

 

Enfim, a prova manteve o estilo dos anos anteriores e exigiu dos estudantes um amplo domínio da história da filosofia, dos conceitos fundamentais, de epistemologia e, também, uma apurada capacidade de reflexão e de escrita.

 



10) SOCIOLOGIA (PISM 3)

(Professor: Renato Alves)

 

A primeira questão contemplou o item II do Conteúdo Programático: “Estrutura Social e Estratificação”. O candidato deveria dissertar sobre os diversos fatores que contribuem para a perpetuação da desigualdade social no Brasil. Para isso, ele deveria considerar os dados fornecidos por uma tabela que trazia como informação a média da renda (em reais) da ocupação principal por sexo, segundo cor/raça (1996-2007). No entanto, a resposta não deveria apontar somente a discrepância de renda financeira como fator da desigualdade social. Outras questões como cultura, poder, ideologia, status, informação, educação, moradia, direitos devem ser destacados pelo estudante e apresentados em um texto dissertativo-argumentativo.

A segunda questão contemplou o item V do Conteúdo Programático, “Cidadania, direitos e movimentos sociais”. O estudante deveria, a partir de uma tirinha, escrever um texto dissertativo-argumentativo sobre as continuidades e descontinuidades dos movimentos sociais ao longo das últimas décadas, tratando de seu conceito, de sua história e de suas transformações.

 

Por fim, a prova de Sociologia manteve-se atenta às grandes questões do tempo presente, exigindo do estudante uma visão crítica da história, da sociedade e das relações sociais e de poder que a perpassam e a constituem.

Tags: PISM 2018

REDE DE ENSINO APOGEU – DOS PRIMEIROS PASSOS AO PRÉ-VESTIBULAR